"Pássaros Feridos" de Colleen McCullough

"Existe uma lenda acerca de um pássaro que só canta uma vez na vida, com mais suavidade do que qualquer outra criatura sobre a Terra. A partir do momento em que deixa o ninho, começa a procurar um espinheiro, e só descansa quando o encontra. Depois, cantando entre os galhos selvagens, empala-se no acúleo mais agudo e mais comprido. E, morrendo, sublima a própria agonia e solta um canto mais belo que o da cotovia e o do rouxinol. Um canto superlativo, cujo preço é a existência..."

A minha opinião: 
Foi uma leitura de puro deleite!! Esta é realmente uma das minhas autoras favoritas.
Tal como praticamente todos os outros que li dela, este é também um verdadeiro épico arrebatador do primeiro ao último instante.

A narrativa começa em 1915 e termina em 1969, tendo como pano de fundo o grande continente Australiano, mas esticando-se também pela Europa, e abrangendo um sem número de acontecimentos como a Grande Depressão de 1929, a II Guerra Mundial e outras situações mais localizadas.
Ficamos também a conhecer em pormenor a grande Austrália, terra natal desta nossa autora, e sem dúvida local predominante nos seus livros. Na verdade a evolução deste país está de tal forma bem documentada neste livro que quase podemos considerá-lo como mais uma personagem, tão volúvel, terrível, generosa e apaixonante que esta terra se nos apresenta.

A história da família Cleary é relatada de uma forma cativante e apaixonante e ao longo de três gerações são-nos apresentadas personagens ricas e fascinantes, que nos envolvem de tal forma na sua história que se torna complicado interromper a leitura. Os seus dilemas, os seus problemas, as suas dúvidas e as suas dores são tão reais que quase nos sentimos impelidos a ajudá-los.
O envolvimento de duas dessas personagens acabam por ser o ponto central da história, à volta do qual tudo acontece e deriva: Meggie Cleary e Ralph de Bricassart. Mas ao fim e ao cabo, esse envolvimento não é mais que uma simples pedra num charco, que ao originar grandes e diversos círculos acaba por ser remetida para segundo plano.

Este livro deu origem a uma mini-série televisiva do mesmo nome, apresentada em Portugal nos anos 80, e eu tenho recordações dessa série. Não me lembrava exactamente da história mas tinha uma ideia geral. Foi muito agradável poder visualizar o Ralph de Bricassart como o belo Richard Chamberlain e confesso que me maravilhei ao regurgitar da minha memória certos e determinados cenários em que a série se manteve fiel ao livro.
É uma leitura que recomendo. Sem dúvida alguma que merece as minhas 5*!

Nota 1: A edição que eu li é a da revista Sábado, pelo que as 618 páginas da edição da Difel estão condensadas em 200 e tal. Não recomendo, pois torna-se fisicamente cansativo para a nossa vista.
Nota 2: Se alguém quiser o download aqui fica o link.

Sinopse:
Pássaros Feridos é a saga vigorosa e romântica de uma família singular, os Clearys. Começa no princípio deste século, quando Paddy Cleary leva a mulher, Fiona e os sete filhos do casal para Drogheda, vasta fazenda de criação de carneiros, propriedade da irmã mais velha, viúva autoritária e sem filhos; e termina mais de meio século depois, quando a única sobrevivente da terceira geração, a brilhante actriz Justine O’ Neill, muitos meridianos longe das suas raízes, começa a viver o seu grande amor.
Personagens maravilhosas povoam este livro: o forte e delicado Paddy, que esconde uma recordação muito íntima; a zelosa Fiona, que se recusa a dar amor porque este, um dia, a traiu; o violento e atormentado Frank e os outros filhos do casal Cleary, que trabalham de sol a sol e dedicam a Drogheda a energia e devoção que a maioria dos homens destina às mulheres; Meggie, Ralph e os filhos de Meggie, Justine e Dane. E a própria terra: nua, inflexível nas suas florações, presa de ciclos gigantescos de secas e cheias, rica quando a natureza é generosa, imprevisível como nenhum outro sítio na terra.

8 comentários:

Ana C. Nunes on 24/3/10 disse...

Tenho o livro lá em casa para ler, mas ainda não tive hipótese.
Parece muito bom.

Tita on 24/3/10 disse...

Olá!
Curioso, acabei de ler este livro na 2ª feira e também adorei.

Jaque ઇ‍ઉ on 24/3/10 disse...

Bom dia!

Minha mãe tem esse livro. Sempre tive vontade de ler, mas desanimava pela quantidade de páginas...

Até que um dia resolvi encarar (no tempo em que não havia faculdade, namorado, emprego) e li em 3 semanas.

Achei a história sensacional e interessante. As cenas dramáticas me deixaram tristes, mas no final valeu a pena.

Jojo on 24/3/10 disse...

Um dos meus livros favoritos de sempre!
Foi daqueles livros que me marcaram para sempre.

Bjinhos*

bluepeace disse...

Também tenho esse livro que ganhei através de um sorteio! ;-) Pois, infelizmente, também é da Revista Sabado. Que letrinhas tão irritantes, realmente! Também vi esta série e, apesar de já ter passado muitos anos, ainda me lembro da história. Impressionante, né?
Bom fim-de-semana!
Um abração do bluepeace

Paula on 27/3/10 disse...

Vi os episódios que passaram na tv há muitos anos. Na altura adorava ver e não perdia um!! O livro é melhor ainda ;)
Um abraço

marcia on 27/3/10 disse...

Eu adorei este livro, esta autora não desilude, é brilhante!

Cali on 7/9/11 disse...

eu queria ler mas não encontro para comprar :((

Mais um livro excecional!

A não perder!

Para os que gostam de thrillers...

Novo livro de Lesley Pearse!!

Um livro magistral!

Um livro magistral!
Neste livro, Jodi Picoult aborda temas como a raça, o privilégio, o preconceito, a injustiça e a compaixão.

O novo livro de Deborah Smith

Novo Thriller de Paula Hawkins

Uma história maravilhosa!

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Chiado Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2017 Blogger Template (Adapted by Fernanda Carvalho)