"A Minha Prima Rachel" de Daphne Du Maurier (Opinião)

Quem não leu esta autora não sabe o que está a perder. Daphne Du Maurier foi uma escritora do século XX, nascida em 1907 e falecida em 1989. Na sua bibliografia encontramos livros que muitos conhecem, principalmente por terem sido adaptados ao cinema pelo fabuloso Sr. Hitchcock. Daphne era a sua autora de eleição. Falo-vos de títulos como Os Pássaros, A Pousada da Jamaica ou Rebecca. Na verdade, e até à data, julgo que pelo menos treza das suas obras foram adaptadas ao grande écran, e mais de quarente foram transformadas em séries ou filmes televisivos.

É exatamente o caso deste livro. A Minha Prima Rachel já havia sido adaptado ao cinema em 1952 com o realizador Henry Koster, e Olivia de Havilland e Richard Burton nos papéis principais. Foi por sinal o primeiro filme americano deste grande ator!
Agora, ao final de 65 anos, A Minha Prima Rachel volta ao grande 
écran numa adaptação de Roger Michell (o realizador de Notting Hill) e com um fabuloso elenco onde constam nomes como Rachel Weisz e Sam Claflin (sigh*).

Mas falemos do livro em si. A Minha Prima Rachel é uma história marcada pela constante inquietação, característica comum aos livros que já li desta autora, e que para mim a torna tão excecional. Estamos com esta constante sensação de inquietude. De dúvida. Não vos sei explicar melhor do que isto. Daphne Du Maurier é uma maestrina na arte de deixar o seu leitor suspenso na incerteza. Será que sim? Será que não? Será que Philip tem razão sobre Rachel ou a sua intuição inicial estava certa e foi corrompida pela impressionante personagem que é a prima Rachel? Ou será que Philip é que é impressionável? E afinal, qual deles é a vítima e o vilão? A verdade é que não sabemos exatamente quem é Rachel. E não há forma de o descobrir a não ser por alguns testemunhos escritos deixados por Ambrose, tutor de Philip, que foi brevemente casado com Rachel e acabou por morrer em sua casa na longínqua Itália. (Podem ler a sinopse na página do livro no site da Editorial Presença.)



Como vêem, uma história aparentemente simples, torna-se num verdadeiro intenso e dramático mistério...

A ação tem lugar em Inglaterra, mais especificamente na Cornualha, algures na primeira metade do século XVIII, pelo que o próprio envolvimento é por si só um pouco negro, quase gótico. Perfeito para a história que Daphne nos conta.

Como já devem ter percebido, adorei o livro. Só me apetece escrever e falar sobre ele. E claro, estou mortinha por ver o filme, que aposto, me vai desiludir um pouco. É sempre assim quando gosto muito de um livro. Daphne Du Maurier é uma autora que não podem deixar de ler. E "A Minha Prima Rachel" é um bom livro para se iniciarem. Não percam a oportunidade!

«Eles costumavam enforcar homens em Four Turnings.
Agora já não.»

0 comentários:

Gostei tanto deste livro!!

Gostei tanto deste livro!!

Mais um livro excecional!

A não perder!

Para os que gostam de thrillers...

Novo livro de Lesley Pearse!!

Um livro magistral!

Um livro magistral!
Neste livro, Jodi Picoult aborda temas como a raça, o privilégio, o preconceito, a injustiça e a compaixão.

O novo livro de Deborah Smith

Novo Thriller de Paula Hawkins

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Chiado Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2017 Blogger Template (Adapted by Fernanda Carvalho)