Em destaque: "As vinhas de La Templanza" de Maria Dueñas

A autora bestseller de "O Tempo Entre Costuras" regressa com um romance histórico de grandes emoções

Sinopse:
Uma história de coragem perante as adversidades e de um destino marcado pela força de uma paixão. Nada fazia supor a Mauro Larrea que a fortuna que tinha conquistado fruto de anos de luta e perseverança se desmoronaria de um dia para o outro, graças a um inesperado revés.

Asfixiado com dívidas e afogado em incertezas, aposta os últimos recursos numa jogada temerária na esperança de se reerguer. Até que a perturbadora Soledad Montalvo, mulher dum negociante de vinhos inglês, entra na sua vida para o arrastar rumo a um futuro inesperado. 

Da jovem república mexicana à radiante Havana colonial, das Antilhas à Jerez da segunda metade do século XIX quando o comércio de vinhos com Inglaterra converteu a cidade andaluza num enclave cosmopolita e lendário, por todos estes cenários se desenrola As vinhas de La Templanza, um romance que fala de glórias e derrotas, de minas de prata, intrigas de família, vinhas e cidades fascinantes cujo esplendor se desvaneceu com o tempo.

Sobre a autora:
Doutorada em Filologia Inglesa, Maria Dueñas é professora titular da Universidade de Murcia depois de ter já passado pela docência em várias universidades norte-americanas. É autora de trabalhos académicos e de muitos projetos educativos, culturais e editoriais. 

Maria Dueñas nasceu em Puertollano (Ciudad Real) em 1964, é casada, tem dois filhos e reside em Cartagena. O Tempo entre Costuras foi o seu primeiro romance, publicado pela Porto Editora, tendo sido adaptado à televisão e exibido em Portugal pela TVI.

Livraria Lello (Porto)

«Paulina nunca tinha visto uma livraria com uma fachada tão imponente como a da Lello. Um edifício neogótico singular, com acabamentos modernistas de pedra esbranquiçada. Pareceu-lhe mais uma igreja do que uma loja.  No entanto, ela estava ali com uma ideia, e naquele momento de obsessão não tinha tempo para contemplar os pormenores arquitectónicos. Porém, quando entrou, a primeira vista de olhos minava toda a livraria lembrou-lhe a escadaria do Titanic que tinha visto num livro que tinha em casa. Era uma escada senhorial, com essa forma nobre de envelhecer que a madeira escura tem. Depois, quando levantou a cabeça e viu a grande curva da escada, como um bicho de conta gigante a espreguiçar-se, ficou extasiada. Com as indicações em português, não teve problemas para se orientar. Aquilo que procurava tinha de estar no primeiro andar. Ao chegar lá, apercebeu-se que a escada tinha uma barriga que parecia mágica, como se estivesse suspensa no vazio. O teto, um vitral de cores de ponta a ponta, era outra obra de arte que iluminava toda a Livraria Lello & Irmão.» 
in Encontrei-te nas Páginas de um Livro de Xavier Bosch



 



Em destaque: "A Resignação" de Luís Miguel Rocha com Porfírio Pereira da Silva e Rui Sequeira

Sinopse:
Em dezembro de 2012, Bento XVI recebeu de uma comissão de cardeais um relatório de 300 páginas sobre o mediático caso “Vatileaks”.

Dois meses depois, no dia 11 de fevereiro de 2013, evocando razões de saúde, e ciente da gravidade da sua decisão, o Papa anunciou ao mundo que resignaria ao trono de São Pedro. Não se sentia capaz, física e espiritualmente, para continuar a exercer o cargo.

Que segredos comprometedores guarda o extenso relatório? A resignação terá acontecido por razões de saúde, como o Bento XVI anunciou, ou por pressões políticas que jamais serão tornadas públicas?
Os mistérios de tão inesperada decisão serão agora revelados.

==============================================

Em várias entrevistas e declarações públicas realizadas na altura da resignação, Luís Miguel Rocha afirmou que aquele momento e as verdadeiras motivações para a decisão de Joseph Ratzinger tinham todos os ingredientes para um bom romance – mistério, segredo e intriga – e que esse seria o tema do seu próximo livro, A Resignação.

Ainda que considerasse um desafio escrever sobre um evento cujas implicações ainda não estavam completamente terminadas, o autor inicia imediatamente a escrita deste livro. A doença e a sua morte prematura, a 26 de março de 2015, não permitiram que terminasse aquele que seria o seu quinto romance sobre os segredos do Vaticano.

Cumprindo a vontade manifestada pelo autor, a família decide concluir o original inacabado. Para dar sequência ao enredo idealizado, foram convidados dois escritores seus amigos, Porfírio Silva e Rui Sequeira, que, com base nas várias notas deixadas, escreveram o desfecho de A Resignação.

Sobre o autor:
Luís Miguel Rocha nasceu na cidade do Porto, em 1976. Foi técnico de imagem, tradutor, editor e guionista, até se dedicar em exclusivo à escrita. Publicou seis títulos: Um País Encantado, O Último Papa, Bala Santa, A Virgem, A Mentira Sagrada e A Filha do Papa. A título póstumo foi publicada a sua obra de não ficção Curiosidades do Vaticano. As suas obras estão traduzidas em mais de 30 países. O Último Papa marcou presença no top do The New York Times e vendeu meio milhão de exemplares em todo o mundo. Luís Miguel Rocha morreu a 26 de março de 2015, em Viana do Castelo.

Sobre os Coautores:
Porfírio Pereira da Silva é fundador e diretor do jornal Foz do Lima e da revista Íbis. Entre 1999 e 2005, foi presidente da Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Alto Minho. Atualmente desempenha funções de técnico superior na Biblioteca Pública Municipal de Viana do Castelo. É autor de obras de poesia, romances e livros de História e colabora assiduamente com a imprensa regional.

Rui Sequeira é um entusiasta da cultura e dos povos, um apaixonado por História, nomeadamente da Antiguidade. Essa paixão reflete-se na sua escrita, que combina a História com o fantástico. É autor de O Segredo de Tutankamon. A escrita é um escape da vida stressante de uma profissão ligada aos ERP de Gestão.

Em destaque: “A Mulher Entre Nós” de Greer Hendricks e Sarah Pekkanen


Ela não é quem você pensa

Sinopse:
Aos 37 anos, a recém-divorciada Vanessa está no fundo do poço. Deprimida, a morar no apartamento da tia, sem filhos, sem dinheiro e sem amigos verdadeiros. Richard, o seu carismático e rico marido, era tudo para ela. Mas, ao descobrir que ele está prestes a voltar a casar, algo dentro de Vanessa se desfaz. A partir de agora, na sua vida, só existirá uma única obsessão: impedir esse casamento. Custe o que custar.

Nellie é como qualquer outra jovem bela e sonhadora que chega a Manhattan para começar a sua tão sonhada vida adulta. Mas a personalidade tranquila que ostenta é apenas uma fachada. Na sua cabeça perdura o segredo que a faz fugir da sua cidade natal e que a impede de caminhar sozinha para casa.

Ao conhecer Richard - bem-sucedido, protector, o homem dos seus sonhos -, Nellie começa finalmente a sentir-se segura. Ele promete protegê-la de tudo para o resto da sua vida. Mas, de repente, começa a receber chamadas misteriosas. Algumas fotografias são mudadas de lugar no seu quarto. Alguém a persegue, alguém quer o seu mal. Mas quem?

Críticas de Imprensa:
«Surpreendente. Inesquecível. Chocante.» Publishers Weekly

«Prepare-se, não vai conseguir parar de ler.» Glamour

«Um thriller muito inteligente.» New York Times Book Review

«Uma ex-mulher irritada persegue uma jovem e inocente noiva que é uma cópia do seu antigo eu... ou assim parece. Uma vez que o leitor descobre que não pode ser só isso, a diversão é tentar descobrir a história antes de chegar ao fim. Nós não conseguimos! Fácil de ler, bem construído.» Kirkus Review 

«Os leitores vão adorar o ritmo vertiginoso, as voltas e reviravoltas enquanto tentam decidir de quem suspeitar até que o suspense os leva a uma conclusão totalmente inesperada.» Booklist 

«A Mulher entre Nós tem uma premissa deliciosamente inteligente e é psicologicamente engenhoso.» USA Today

Sobre as autoras:
Greer Hendricks trabalha como editora de livros há mais de duas décadas. Também colabora com o The New York Times e Publishers Weekly. A Mulher Entre Nós é o seu primeiro romance.

Sarah Pekkanen, norte-americana, é uma autora bestseller internacional, com quatro romances já publicados e outros três a caminho.
Os seus livros já foram publicados em vários países como China, Austrália, Alemanha, Itália, Holanda, Polónia, Canadá e Espanha, e os seus romances são êxitos sucessivos de vendas.
Escreveu para vários jornais e revistas como a People, o Washington Post e o USA Today. Atualmente vive com o marido e com os três filhos em Maryland, nos Estados Unidos.


"Uma Herança de Amor" de Cristina Campos (Opinião)

Quando peguei neste livro não sabia o que ía encontrar. A sinopse falava de uma relação entre irmãs que estava algo azedada e uma estranha herança - um moinho e uma padaria - que ambas receberam de uma mulher que nada lhes dizia. Podia ser um livro espectacular, como podia ser mais uma historieta de amor. Mas logo após as primeiras páginas tive a certeza: ía ser uma leitura maravilhosa. E não me enganei. 


Aliada a uma paisagem maravilhosa, que me conquistou e que um dia quero ir conhecer, encontrei uma escrita fenomenal que enleva o leitor e o transporta para dentro das páginas do livro. Ao que parece este é o primeiro livro da autora, Cristina Campos. Espero sinceramente que ela não fique por aqui e que mais histórias brotem da sua alma para o papel.

A história parece realmente simples, duas irmãs, que não se vêem há muitos anos, herdam um moinho com uma padaria, mas tal como todos os bons livros, o que acontece na realidade são inúmeras histórias interligadas que seguem esse fio condutor, ou seja, a história principal. E a autora consegue saltitar entre acontecimentos, personagens e anos sem nos deixar baralhados em momento algum. Tudo nos é revelado no momento certo, nem antes, nem depois, e o mistério da herança que serve de mote para a história, vai-se compondo aos poucos, só sendo desvendado mesmo no final.



Adorei as personagens femininas. A sua força, as suas fraquezas, as suas diferentes maneiras de ser e formas de encarar a vida. As suas dúvidas e as suas certezas, os seus sonhos e as suas realidades... absolutamente maravilhosas. Encontrei um pouco de mim em cada uma delas. E sei que, de certeza absoluta, que quem ler este livro vai ser igualmente conquistado pelas mesmas personagens. São daquelas que nos acompanham muito para lá da última página do livro, sabem?

Outra "personagem" maravilhosa é mesmo a ilha de Mallorca, as suas praias secretas, as suas gentes e o seu dialecto que me diverti a tentar decifrar sem recorrer às notas da autora. Sabem que é muito parecido com o português? Adorei conhecer a ilha pelos olhos dos seus habitantes, e principalmente a vila de Valldemossa, que até o Michael Douglas (sim, o ator!) conhece tão bem. ;)


Acima de tudo, o que mais me conquistou neste livro foi o facto de não ser propriamente daquelas histórias cor-de-rosas em que tudo termina em beleza (atenção, não estou a revelar nada do final, ok?). Este livro fala da vida como ela é, sem subterfúgios, sem máscaras. As coisas são como são e nem sempre correm da maneira que desejamos, não é? Mas o importante é mantermos o nosso pé. É esse toque de realismo que amei. Esta poderia ser uma história tão real como qualquer outra.

É um dos melhores livros que li este ano, e olhem que já li coisas muito boas...
Recomendo vivamente. Uma leitura que vos vai encher a alma e acender um brilho no vosso olhar.


Obrigada à Marcador pela aposta e pela oportunidade! Adorei.

Em destaque: "Fahrenheit 451" de Ray Bradbury

Como uma mensagem mais relevante do que nunca, venha descobrir o clássico profético de Ray Bradbury sobre o poder da resistência à tirania política. 

Sinopse:
Guy Montag é um bombeiro. O seu emprego consiste em destruir livros proibidos e as casas onde esses livros estão escondidos. Ele nunca questiona a destruição causada, e no final do dia regressa para a sua vida apática com a esposa, Mildred, que passa o dia imersa na sua televisão.

Um dia, Montag conhece a sua excêntrica vizinha Clarisse e é como se um sopro de vida o despertasse para o mundo. Ela apresenta-o a um passado onde as pessoas viviam sem medo e dá-lhe a conhecer ideias expressas em livros. Quando conhece um professor que lhe fala de um futuro em que as pessoas podem pensar, Montag apercebe se subitamente do caminho de dissensão que tem de seguir.

Mais de sessenta anos após a sua publicação, o clássico de Ray Bradbury permanece como uma das contribuições mais brilhantes para a literatura distópica e ainda surpreende pela sua audácia e visão profética.

Sobre o autor:
Ray Bradbury (1920-2012) é um dos autores norte-americanos mais célebres do século XX. Autor de fantasia, ficção científica e horror e um incrivelmente talentoso contador de histórias, é conhecido pelos seus romances Fahrenheit 451, Crónicas Marcianas e a coletânea O Homem Ilustrado. As suas obras já conheceram inúmeras adaptações para cinema, televisão e banda-desenhada ao longo das últimas quatro décadas. Algo Maligno Vem Aí é um dos seus livros mais amados e é pela primeira vez publicado em Portugal.

"A Mulher à Janela" de A. J. Finn (Opinião)

Como cinéfila que sou, aprecio os grandes clássicos de Hollywood, com os filmes de Hitchcock a encimar a lista, ou não fosse eu igualmente fã de thrillers. Portanto, assim que vi o título deste livro a minha memória saltou logo para o filme "A Janela Indiscreta" com o James Stuart e a Grace Kelly. (Não sei se viram, mas se não viram, têm de ver!)

E pelo que percebi ao ler este livro, A.J. Finn é igualmente um fã desses filmes clássicos, já que os referencia constantemente. Essa foi sem dúvida uma das mais valias deste livro: a forma como o autor introduziu cenas dos filmes na história. A personagem principal passa o tempo a ver esses filmes e os mesmos chegam a influenciar o seu pensamento, e claro, a baralhar por completo o leitor. Só sei que fiquei com vontade de ver e rever os filmes mencionados. :)

Bem, apesar de toda a influência "negra" de Hitchcock, "A Mulher À Janela" é um thriller moderno, também negro, mas à sua maneira.  

Ana Fox, a personagem principal está fechada em casa há 10 meses, sofrendo de agorafobia, para além de outras condições algo psicóticas, que não sabemos se relacionadas com um determinado evento no passado, ou se com a mistura de medicação e bebidas alcoólicas que ela não se coíbe de ingerir. No entanto, e apesar de a vermos (des)governar a sua vida como um carro sem travões desfiladeiro abaixo, ela é uma mulher inteligente, que tem consciência dos seus atos e não arranja desculpa para os mesmos. É quase como se ela estivesse deliberadamente a querer destruir-se.

Uma vez que Anna não sai de casa, tem pouco com que se entreter. Vê filmes, tem uma vida online mais ou menos ativa, e bisbilhota a vida dos vizinhos através das suas janelas. E é aí que surge o problema. Um dia ela vê, ou acha que vê, acontecer um crime - a mulher do vizinho a ser morta, embora não tenha visto o assassino. A partir daí as cenas sucedem-se em catadupa e a tensão vai subindo à medida que são envolvidos outros personagens e a dúvida aumenta. Será que aconteceu mesmo?

Gostei da forma como o livro está escrito. Apesar de achar que tem algumas páginas a mais (a 1/3 do livro a ação a modos que fica a marinar), pareceu-me que o autor conseguiu escrever um bom thriller negro, com inspiração Hitchcockiana. Confesso que fiquei surpreendida com o final. Não estava mesmo nada à espera...

Recomendo. Se querem ser surpreendidos, mas tentar à mesma descobrir o que aconteceu, vale a pena lerem este livro. 

Para mais informações, incluindo o um vídeo do autor a falar sobre o livro, convido-vos a visitar a página do mesmo no site da Editorial Presença.

Em destaque: "Uma Mãe Perfeita" de Aimee Molloy

Sinopse:
Quatro amigas encontram-se num jardim em Brooklyn, Nova Iorque. São mães há pouco tempo e debatem-se com as exigências das suas novas vidas. Colette é escritora e sonha em dedicar mais tempo à família. Nell é especialista em cibersegurança e quer fugir a um passado sombrio. Francie pretende ser mãe a tempo inteiro e, assim, expiar segredos antigos. E Winnie, atriz famosa…

Winnie quer apenas o filho de volta.

É que alguém aproveitou a única noite em que as amigas saíram sem as crianças para raptar o pequeno Midas. E agora que a investigação policial parece ter chegado a um impasse, Nell, Colette e Francie unem-se, determinadas a encontrá-lo… mesmo que tenham de agir a coberto das sombras. 

Colette está a escrever um livro que lhe dá acesso a ficheiros policiais confidenciais.
Nell utiliza os seus dons de hacker para invadir sites privados.
Francie assiste a um talk-show sensacionalista que ninguém admite ver mas que segue obsessivamente o caso e transforma o rumo das vidas de todas.
E há ainda um pai. Um enigmático e afetuoso pai…


Sobre a autora:
Aimee Molloy é autora de vários livros, mas Uma Mãe Perfeita é o seu primeiro romance. 
O seu sucesso, porém, foi tanto que já se encontra traduzido para 15 línguas e tem a adaptação ao cinema em curso, contando com a atriz Kerry Washington no principal papel. 
Aimee vive atualmente em Brooklyn com o marido e as filhas.

Este livro traumatizou-me! Mas estou à espera do segundo. ;)

Um livro maravilhoso, cujas personagens me marcaram.

Um livro fora de série! Fenomenal. :)

Um livro magistral! Para mim, o melhor de 2017!

Uma leitura magnífica.

 

ASA

Quinta Essência

Planeta

Porto Editora

Bertrand

Lua de Papel

Cultura Editora

Oficina do Livro

Editorial Presença

Jacarandá

D. Quixote

Clube do Autor

Livros d'Hoje

Casa das Letras

Suma de Letras

Vogais

Saída de Emergência

Esfera dos Livros

TopSeller

Objetiva

Marcador

Visualizações de página na última semana

Copyright © 2005-2017 Blogger Template (Adapted by Fernanda Carvalho)